Preço histórico do bitcoin foi manipulado, segundo estudo

São Paulo – Estudo aponta que a moeda digital bitcoin atingiu, no fim de 2017, seu preço mais alto, graças aos movimentos de um único participante do mercado, de acordo com reportagem do jornal The Wall Street Journal. A pesquisa, realizada pelos professores John Griffin e Amin Shams da Universidade do Texas e da Universidade Estadual de Ohio, respectivamente, analisou mais de 200 gigabytes de dados de transações entre bitcoin e a moeda digital tether entre março de 2017 e março de 2018.

A conclusão é que o bitcoin atingiu quase 20 mil dólares — chegando a um valor de mercado de 326 bilhões de dólares — pela manipulação de um participante que tem conta na corretora Bitfinex.

“Uma das maiores preocupações da Security Exchange Commission (SEC) é que o bitcoin seja um ativo passível de manipulação. O estudo parece dar credibilidade a esse argumento”, disse Jaret Seiberg, analista da Cowen, em entrevista à CNBC.

Essa pesquisa vem à tona depois de uma análise publicada em março que constatou que 95% das transações à vista de bitcoin são falsas. O levantamento, realizado pela corretora Bitwise para a SEC, constatou que apenas 273 milhões de dólares dos cerca de 6 bilhões de dólares transacionados diariamente são legítimos.

Embora o estudo mais recente não identifique o manipulador, os professores sugerem que aqueles que executam o Bitfinex sabiam da operação ou possivelmente estavam ajudando no esquema. O advogado da Bitfinex, Stuart Hoegner, disse ao WSJ que o estudo “carece de rigor acadêmico”, dizendo que “foi o aumento global da moeda digital que impulsionou a demanda do mercado”. 

A Bitfinex e a Tether Ltd., empresa que controla a tether, são operadas pelas mesmas pessoas. As duas empresas estão sendo investigadas por suposta fraude pelo Departamento de Justiça e pelo Procurador-Geral de Nova York, segundo o WSJ.

Nesta segunda-feira (4), a moeda digital é negociada ao redor de 9,3 mil dólares.

Source: Exame Gestão Positiva

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.